segunda-feira, 2 de abril de 2012

Vanguarda na Dança Oriental

Entro o mês de abril de 2012 emocionada e plena de expectativas!
Coincidentemente no final deste mês estreiam dois projetos relacionados à Dança Oriental super inovadores no nosso contexto.
No dia 27 / 04, eu e Vitor Cazé estamos produzindo a balada "Oriental Club", primeira do gênero, aqui no Rio. Pista aberta de dança com DJ tocando um repertório super refinado e escolhido a dedo, do melhor da música eletrônica oriental / árabe / mediterrânea! Performances interativas e LIVE PA (quando músicos e DJ tocam juntos ao vivo). Vamos ter ATS na pista, malabares, roda de Dabke e muita animação, das muitas pessoas animadíssimas que já curtiram o projeto e aguardam a venda do primeiro lote de ingressos. Nosso teaser jájá estará no youtube para que todos tenham noção do quão especial será este evento! É pra dançar, é pra curtir!

No dia 28 / 04, integro o grupo de bailarinas da peça "A dança da minha Terra", escrita, produzida e encenada por Keyla Milanez. Tenho o orgulho de ser sua consultora. Também nunca tive notícias de uma peça teatral sobre a dança árabe, que explore suas raízes, e conte ao público de forma leve e lúdica um pouco de sua tradição e história. A peça estreará no auditório do Clube Monte Líbano e aguardamos sinalizações de possível temporada.

Mergulhada até o pescoço nestes dois projetos, penso que talvez sejam a ponta de um novo tempo para os eventos de dança oriental aqui no Rio. Quem sabe possam inspirar novas bailarinas, coreógrafas e pensadoras da dança a irem mais além da expectativa de glamour e glória ilusórios, que circundam o nosso meio. Como conquistar respeito e alçar novos patamares do profissionalismo sem a devida dedicação, entrega e risco, que todo artista precisa para crescer? Risco. Precisamos correr risco, sim! Pensar na Dança do ventre como arte e não como veículo da própria vaidade significa também se propor ao novo sem medo da opinião alheia. Claro que nem todas precisam pensar como eu. Claro que muitas vão permanecer se batendo pelo reconhecimento de um mercado que nem por isso as sustentarão. Mas quem sabe, em contato com o novo, algumas encontrem novos caminhos para pensar e sentir aquilo que almejamos seja reconhecido apenas como Arte.

Sobre o Oriental Club:
http://orientalclub.blogspot.com.br/
Sobre a peça: http://hannaaisha.blogspot.com.br/2012/03/danca-da-minha-terra.html